"Regresso devagar ao teu
sorriso como quem volta a casa..."

Manuel Antonio Pina

segunda-feira, 23 de maio de 2016


imagem Google

aqui
nesta pedra
alguém sentou
olhando o mar

o mar
não parou
pra ser olhado

foi mar
pra tudo quanto é lado.

Paulo Leminski



domingo, 22 de maio de 2016

Medo


Imagem daqui

Medo de te amar demais,
quando demais não é suficiente.
Medo de não saber por onde vais,
quando te sei ausente.

Medo de ficar só entre os demais,
quando se torna evidente
a abundância de sinais
de que não estás presente.

Medo de te amar de mais,
porque demais não é suficiente.

Torquato da Luz


quinta-feira, 19 de maio de 2016

Tecelã


Fotografia de © Benoit Courti

Costurei palavras,
retalhos colhidos
no baú dos devaneios.

Fiz, do manto-poema,
agasalho
das esperanças

Adélia Maria Woellner




quarta-feira, 18 de maio de 2016

Amputação


Fotografia de © Benoit Courti

Algo, em mim, está morto.
O lado direito inerte, ausente,
de mim está alheio.
Do lado esquerdo
o fito,
como se a um outro
olhasse.
Metade de mim persiste,
vive,
e contempla algo, ardendo,
estiolando,
que em mim está morto.
Um perfil que apodrece
e eu vivendo
e vendo ausentar-se de mim
algo que em mim está morto
definitivamente.

Rui Knopfli


terça-feira, 10 de maio de 2016

Um despertar sem sonhos

.
.
A falta que me fazes não é tanto
à hora de dormir

É quando, ao despertar, 
revejo a um canto
a noite acumulada de meus dias


Carlos Drummond de Andrade



quinta-feira, 5 de maio de 2016



Dê asas pr'eu aterrissar no céu
Dê paraquedas pr'eu saltar do chão pro céu
Para uma estrela acender na minha mão

Dê nuvens que se movem feito ondas
Ondas que batem e arrebentam lentas em mim
E dão banhos de querubim na minha asa

Dê asa, dê asa
Que o céu desaba
Dê asa, dê asa
Que o céu, minha casa
Dê asa, dê asa, dê asa
Quando a água vaza além da água
Dê céu, dê céu, dê céu
Quando do solo o sol também faz chuva
Dê céu, dê sol, dê asa
Que quando é noite eu tenho mágoa



quarta-feira, 4 de maio de 2016

Gaiola


Ilustração de Kmye Chan

De agora em diante
De trás pra frente
E para sempre
Nenhuma gaiola amarre
As asas de um pássaro
Os passos de um felino
Os sonhos de um homem

Roseana Murray



terça-feira, 3 de maio de 2016

"Gestos Descalços"


imagem Google

O que me conquista ... ?
O olhar que nada esconde
A Alma nua
... Os gestos descalços
A humildade nas mãos
O simples,
em sua plenitude.

Bruno de Paula


terça-feira, 12 de maio de 2015

"Caos"


Fotografia da Facepage Fabrica de Escrita

Há um momento na vida
de terror definitivo,
de fracasso tremendo,
de sangrar a ferida.
Nada rende,
não há remendo,
nem consolo,
nem saída;
luta perdida.
A lágrima não significa,
o amor cruza os braços,
a saudade diz que vai,
e fica.

Ivone Boechat

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

"Encontro"

Imagem: Google

Era uma dessas mulheres que não se usam mais.
Vestes de trevas e vidrilhos.
Cabeleira trágica.
Olheiras suspeitas.
O grito horizontal da boca surgiu da noite.
Sumiu pela última porta do poema.

Mario Quintana 
in Esconderijos do Tempo


Interlúdio com ...

Will You Still Love Me Tomorrow - Norah Jones

Will You Still Love Me Tomorrow

Norah Jones

Tonight you're mine completely
You give your love so sweetly
Tonight the light of love is in your eyes
Will you still love me tomorrow?

Is this a lasting treasure
or just a moment pleasure?
Can I believe the magic of your sight?
Will you still love me tomorrow?

Tonight with words unspoken
You said that I'm the only one
But will my heart be broken
When the night meets the morning sun?

I like to know that your love
This know that I can be sure of
So tell me now cause I won't ask again
Will you still love me tomorrow?

Will you still love me tomorrow?
Will you still love me tomorrow?...

Postagens populares

Total de visualizações de página