"Regresso devagar ao teu
sorriso como quem volta a casa..."

Manuel Antonio Pina

domingo, 14 de outubro de 2018

Só ficará de ti o que fizeste
por amor
O resto não valeu:
foi apenas poeira que se ergueu
em teu redor
e vento varreu.

Só ficará de ti o que escreveste
com paixão.
O resto não contou:
foi tão-só uma sombra que passou,
pura ilusão,
e nem rasto deixou.

Torquato da Luz


imagem: google




Um dia virei
colado a um verso, embrulhado
numa folha, dobrado 
a um canto,

para que os teus lábios
me ciciem, os teus olhos
me beijem

e eu não saiba
e eu não sinta.

Albano Martins

Imagem;  Google

terça-feira, 9 de outubro de 2018


Não é o restolhar do vento
É a tua lembrança
que se ergue em mim.

Não é a rosa do sol a esfolhar-se.
É a minha boca - sede e romã-
que sangra na tarde.

Não é a noite que desce.
É a sombra dos teus olhos
a fechar o horizonte.

Luisa DaCosta

Arte by Аlla Sviridenko




Devolve-me esse corpo
Esse que não tive, que não tenho
mais que no fugaz olhar
do meu ombro
porém não para trás.

Devolve-me o que não é meu
nem nunca será meu,
tal como o pássaro
que lá fora canta
fora da minha mão,
fora do meu corpo.

Devolve-me esse pássaro
e poisa nesse ramo
que o meu olhar alcança.

Pedro Tamen


Arte by Marci McDonald



Guardarás numa caixinha


Guardarás numa caixinha
o que não fiz por ti,
a mão que não chegou à sobrancelha
que nem aflorou,
o beijo repetido nas palavras
sem que o tato
o multiplicasse qual se desejava.

Nessa caixa de nada não tardará depois
a não estares só tu,
a não estar só eu,
a estarmos só os dois."

Pedro Tamen

Arte by Denis Nunez Rodriguez





Troco-me por ti



Troco-me por ti
Na brasa da fogueira mal ardida
renovo o fogo que perdi,
acendo, ascendo, ao lume, ao leme, à vida.

E só trocado, parece, por não ser
na verdade conjugo o velho verbo
e sou, remido esquartejado,
o retrato perfeito em que exacerbo
os passos recolhidos pelo tempo andado.

Pedro Tamen

imagem: Google



Vive o instante que passa



Vive o instante que passa. Vive-o intensamente até à 
Última gota de sangue. 
É um instante banal, não há nele que o distinga de mil outros instantes vividos. 
E no entanto ele é único por ser irrepetível e isso o distingue de qualquer outro. 
Porque nunca mais ele será o mesmo nem tu que o estás vivendo. 
Absorve-o todo em ti, impregna-te dele e que ele não seja pois em vão no dar-se-te todo a ti. 
Olha o sol difícil entre as nuvens, respira à profundidade de ti, ouve o vento. 
Escuta as vozes longínquas das crianças, 
o ruído de um motor que passa na estrada, 
o silêncio que isso envolve e que fica. 
E pensa-te a ti, que disso te apercebes, sê vivo aí, sente-te aí. 
E que nada se perca infinitesimalmente no mundo que vivesse na pessoa que és. 
Assim o dom estúpido e miraculoso da vida 
não será a estupidez maior de não teres cumprido integralmente, 
de o teres desperdiçado numa vida que terá fim.

Vergílio Ferreira
em "Vive o Instante que Passa"

Arte by Chelìn Sanjuan




Quantos dias se passam sem tu apareceres. 
E às vezes penso é bom que assim seja, para eu aprender a estar só. 
Mas de outras vezes rompes-me pela vida dentro e eu quase sufoco da tua presença. 
Ouço-te dizer o meu nome e eu corro ao teu encontro e digo-te: vai-te, vai-te embora. 
Por favor. 
E eu sinto-me logo tão infeliz. 
E digo-te não vás. Fica. 
Para sempre. 
Há em mim uma luta entre o desejo de que te esqueça e o de endoidecer contigo. 
Porque tu foste de um mundo incorruptível onde o tempo não passa 
e é aí que tu moras no eterno de ti.

Vergílio Ferreira

Arte by Matteo Arfanotti



segunda-feira, 8 de outubro de 2018

A boca


Apenas uma boca. A tua boca
Apenas outra, a outra tua boca
É primavera e ri a tua boca
De ser agosto já na outra boca

Entre uma e outra voga a minha boca
E pouco a pouco a polpa de uma boca
Inda há pouco na popa em minha boca
É já na proa a polpa de outra boca.

Sabe a laranja a casca de uma boca
Sabe a morango a noz da outra boca
Mas sabe entretanto a minha boca

Que apenas vai sentindo em sua boca
Mais rouca do que a boca a minha boca
Mais louca do que a boca a tua boca.

David Mourão Ferreira 

Imagem: Google




Eram, na rua, passos de mulher.
Era o meu coração que os
soletrava.
Era, na jarra, além do malmequer,
espectral o espinho de uma rosa
brava.

Era, no copo, além do gim, o gelo;
além do gelo, a roda de limão .
Era a mão de ninguém no meu 
cabelo.
Era a noite mais quente deste
verão.

Era no gira-discos, o Martírio
de São Sebastião, de Debussy .
Era, na jarra, de repente, um lírio
Era a certeza de ficar sem ti.

Era o ladrar dos cães na
vizinhança.
Era, na sombra, um choro de
criança .

David Mourão Ferreira


Arte de Catrin Welz-Stein


Interlúdio com ...

Will You Still Love Me Tomorrow - Norah Jones

Will You Still Love Me Tomorrow

Norah Jones

Tonight you're mine completely
You give your love so sweetly
Tonight the light of love is in your eyes
Will you still love me tomorrow?

Is this a lasting treasure
or just a moment pleasure?
Can I believe the magic of your sight?
Will you still love me tomorrow?

Tonight with words unspoken
You said that I'm the only one
But will my heart be broken
When the night meets the morning sun?

I like to know that your love
This know that I can be sure of
So tell me now cause I won't ask again
Will you still love me tomorrow?

Will you still love me tomorrow?
Will you still love me tomorrow?...

Postagens populares

Total de visualizações de página