Estou de volta... como a primavera!

"Regresso devagar ao teu
sorriso como quem volta a casa..."

Manuel Antonio Pina

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

Distância


Imagem da Web

no lado da cama que guardei a você 
pendurado
em duas voltas 
um rosário de pérola com a cruz
voltada para a frente: 
se existe mesmo proteção
que te guarde primeiro e que te salve em dobro
deixo três travesseiros em linha reta 
ensaiando
o volume do seu corpo sob a coberta de flanela
antecipo nosso jeito de dormir 
mantenho fresca
e cheia a garrafa d’água 
o abajur com luz acesa
a janela entreaberta para ouvirmos 
os carros de som com promoções de supermercado
o preço do fubá ecoando em meu bairro 
um isqueiro no criado-mudo 
junto de um quartzo rosa lapidado
que é quando eu não acredito em uma ou outra
conta do rosário 
em meu lado suspiro a espera
tateio a noite representada em seu devido lugar
preservando o templo com a quentura das mãos

Amanda Vital



Canção


 
Arte por Hiroko Sakai

Qual canção
cantaremos
para o nosso coração,
no meio da noite
do deserto
que repousa
em nós?

Qual canção
quererá
o nosso coração
ouvir
quando
o mistério
de seu pulsar
apontar os seus
últimos
acordes?

Qual canção
nos levará
ao mistério
da existência e
ao incognoscível
da morte?

Qual canção
nos oferecerá
o nosso raro destino
dentre as limitações
do ventre
da Terra?

William Soares dos Santos



E Dylan tocava gaita



Bob Dylan Poster, Mr. Tambourine Man, Blowing in the Mind

e dylan tocava gaita

quando o medo criou raízes
e me plantou em casa
me nocauteando com suas mãos frias
tinha um anjo bêbado de asas negras
no sofá branco da sala

ele sorria e ouvia dylan
entendia cada palavra
me oferecia uísque de terras geladas
e eu ali estátua branca parada

o anjo bêbado de asas negras
perdido em seus caminhos
parou ali em minha casa
e ouvia dylan de olhos fechados
no sofá branco da sala

quando o medo criou raízes
fiquei debaixo de suas asas negras
dylan tocava gaita
e por um instante nesse instante
os sonhos não tinham medo

Adriana Godoy



Haikai






 Arte de René Magritte

O dia todo usando
Um chapéu que não estava
Em minha cabeça

Jack Kerouac





Semeio sóis

 
Arte by Jacques Guignard

Semeio sóis
e sons
na terra viva

afundo os
pés
no chão: semeio e
passo.

Não me importa a colheita.


Orides Fontela







domingo, 24 de novembro de 2019

No chão da água luava um pássado



Fotografia daqui

No chão da água
luava um pássaro
por sobre espumas
de haver estrelas

A água escorria
por entre as pedras
por um chão sabendo
a aroma de ninhos.

Manoel de Barros
in O Menino e o Córrego



Visitas


Imagem via Pinterest

Através da noite urbana de pedra e seca
o campo entra no meu quarto.
Estende braços verdes com pulseiras de pássaros,
com fivelas de folhas.
Leva um rio à mão.
O céu do campo também entra,
com o seu cesto de jóias acabadas de cortar.
E o mar senta-se ao meu lado,
estende a sua cauda branquíssima no solo.
No silêncio brota uma árvore de música.
Na árvore pendem todas as palavras formosas
que brilham, amadurecem e caem.
Na minha testa, uma caverna onde mora um relâmpago...
Porém, tudo se povoou com asas.
Diz-me: é deveras o campo que vem de tão longe,
ou és tu, são os sonhos que sonhas ao meu lado?

Octavio Paz



Tentava escrever




Imagem via Pinterest

I

Tentava escrever

com a minha mão direita,
com a minha mão esquerda, alma corpo inteiro

o esboço - o esboço aparente

fuligem da sílaba e silêncio, raiz
de pássaro transitório que teima crescer intacto

a carvão

como asa a traço de sombra caliça
que acontece

contorno - em luz placenta
grão do barro,
devagar. Em silêncio

tentava escrever e

acontecia - por acontecer
como esboço apátrida - aparente

- o corpo

II

e no veio, na voz

no afluente da asa
quase

corpo inteiro

…..

tentava escrever

as artérias da sombra - todos os traços, o sopro da cinza - todas

as palavras, visíveis e invisíveis.

(...)

..........

breve Leonardo



Cela


Fotografia via Pinterest

faz do teu olho
a entrada
usa a chave roubada

Lucia De Moura Chamma






Gérberas



 Imagem da Web

São as gérberas tuas preferidas?
Gérberas me tornarei!
Que devoção maior queres tu
Do que um corpo que se transforma em flor?

Cari Lobo










Interlúdio com ...

Will You Still Love Me Tomorrow - Norah Jones

Will You Still Love Me Tomorrow

Norah Jones

Tonight you're mine completely
You give your love so sweetly
Tonight the light of love is in your eyes
Will you still love me tomorrow?

Is this a lasting treasure
or just a moment pleasure?
Can I believe the magic of your sight?
Will you still love me tomorrow?

Tonight with words unspoken
You said that I'm the only one
But will my heart be broken
When the night meets the morning sun?

I like to know that your love
This know that I can be sure of
So tell me now cause I won't ask again
Will you still love me tomorrow?

Will you still love me tomorrow?
Will you still love me tomorrow?...

Postagens populares

Total de visualizações de página