"Regresso devagar ao teu
sorriso como quem volta a casa..."

Manuel Antonio Pina

terça-feira, 24 de agosto de 2010

.
Imagem Google
.
Ninguém sabe andar na rua como as crianças.
Para elas é sempre uma novidade,
é uma constante festa transpor umbrais.
Sair à rua é para elas muito mais do que sair à rua.
Vão com o vento.
Não vão a nenhum sítio determinado,
não se defendem dos olhares das outras pessoas
e nem sequer, em dias escuros, a tempestade se reduz,
como para a gente crescida,
a um obstáculo que se opõe ao guarda-chuva.
Abrem-se à aragem.
Não projetam sobre as pedras, sobre as árvores,
sobre as outras pessoas que passam, cuidados que não têm.
Vão com a mãe à loja,
mas apesar disso vão sempre muito mais longe.
E nem sequer sabem que são a alegria de quem as vê passar e desaparecer.


Ruy Belo
.

4 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida Flor
Um belo poema, como sempre com a ternura que só as crianças têm.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

HSLO disse...

Lembranças de minha infância agora...viu

abraços

Mariângela disse...

que lindo! crianças olham o mundo com a alma. Temos muito a re-aprender.
beijos

Poeta Carlos Maia disse...

Crescemos e perdêmos a pureza das crianças e passamos o resto da vida tentando resgatá-la...

Belíssimo poema, Flor!

Interlúdio com ...

Will You Still Love Me Tomorrow - Norah Jones

Will You Still Love Me Tomorrow

Norah Jones

Tonight you're mine completely
You give your love so sweetly
Tonight the light of love is in your eyes
Will you still love me tomorrow?

Is this a lasting treasure
or just a moment pleasure?
Can I believe the magic of your sight?
Will you still love me tomorrow?

Tonight with words unspoken
You said that I'm the only one
But will my heart be broken
When the night meets the morning sun?

I like to know that your love
This know that I can be sure of
So tell me now cause I won't ask again
Will you still love me tomorrow?

Will you still love me tomorrow?
Will you still love me tomorrow?...

Postagens populares

Total de visualizações de página