"Regresso devagar ao teu
sorriso como quem volta a casa..."

Manuel Antonio Pina

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

.
.
Sei agora como nasceu a alegria,
como nasce o vento entre barcos de papel,
como nasce a água ou o amor
quando a juventude não é uma lágrima.
.
É primeiro só um rumor de espuma
à roda do corpo que desperta,
sílaba espessa, beijo acumulado,
amanhecer de pássaros no sangue.
.
É subitamente um grito,
um grito apertado nos dentes,
galope de cavalos num horizonte
onde o mar é diurno e sem palavras.
.
Falei de tudo quanto amei.
De coisas que te dou
para que tu as ames comigo:
a juventude, o vento e as areias.
.
Eugénio de Andrade
.

4 comentários:

A Palavra Mágica disse...

Flor,

Lindo o poema e mais lindas ainda as entrelinhas; é nelas que se encontra a juventude.

Beijos!
Alcides

Agulheta disse...

Flor! Na beleza de poema como escreve Eugénio de Andrade,e de igual forma navegar em barcos de papel e esperança.
Beijinho e agradeço visita

Flor ♥ disse...

Alcides,

Eugenio de Andrade é mestre em falar nas entrelinhas.

Uma noite de paz, poeta!

Bjs.

Flor ♥ disse...

Lisa,

Teu carinho sempre presente aqui enriquece o Interlúdio!

Bjs. e uma noite de paz!

Interlúdio com ...

Will You Still Love Me Tomorrow - Norah Jones

Will You Still Love Me Tomorrow

Norah Jones

Tonight you're mine completely
You give your love so sweetly
Tonight the light of love is in your eyes
Will you still love me tomorrow?

Is this a lasting treasure
or just a moment pleasure?
Can I believe the magic of your sight?
Will you still love me tomorrow?

Tonight with words unspoken
You said that I'm the only one
But will my heart be broken
When the night meets the morning sun?

I like to know that your love
This know that I can be sure of
So tell me now cause I won't ask again
Will you still love me tomorrow?

Will you still love me tomorrow?
Will you still love me tomorrow?...

Postagens populares

Total de visualizações de página