"Regresso devagar ao teu
sorriso como quem volta a casa..."

Manuel Antonio Pina

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

"Subversiva"

.
.
A poesia
quando chega
não respeita nada.
Nem pai nem mãe.
Quando ela chega
de qualquer de seus abismos
desconhece o Estado e a Sociedade Civil
infringe o Código de Águas
relincha
como puta
nova
em frente ao Palácio da Alvorada.
E só depois
reconsidera: beija
nos olhos os que ganham mal
embala no colo
os que têm sede de felicidade
e de justiça
E promete incendiar o país
.
Ferreira Gullar

.

7 comentários:

Andradarte disse...

Viva a poesia.
Vivam as artes.
Beijo

VictorB disse...

Abençoada Flor que criou e sustenta este (quase) divinalmente belo Blog!

Ou será que Deus existe?! E se existe, será que o mesmo tem a ver com esta beleza ou terá a ver com o terror? È que há que espalhe terror em nome de Deus! Por mim prefiro de todo acreditar que Deus tem a ver com esta beleza. A partir de que o terror possa derivar dos que perderam a fé e a esperança na beleza. Ou será que o terror è belo e/ou contém beleza?
Por mim prefiro acreditar que quem espalha terror, não conhece: Interlúdio

P.s. O terror veio-me á mente em sequência deste divinalmente belo contexto, quiçás porque me fascinam os paradoxos e as ambiguidades da vida...

Victor Barão

magna disse...

olá linda flor!
"embala no colo
os que têm sede de felicidade
e de justiça
E promete incendiar o país"
o dia em que eu sumir não procure estarei por aí a por fogo no mundo!
ps:minha mãe sempre pergunta isso,se eu coloquei fogo no mundo!
bjus e tenha uma boa noite!

Ana Tapadas disse...

Flor que hino maravilhoso à poesia!
A imagem ilustra bem o processo: por menos poético que seja o dia-a-dia, a poesia ilumina-o e ganha vida própria; estala da rotina, da pressa, do sofrimento...faz-se Amor.
Beijinho amiga

DILERMArtins disse...

Mas bah, Flor.
Ferreira é genial, afinal a poesia como as pessoas, tem sua adolecência, seu tempo de rebeldia, de loucuras, mas como nós, amadurece, transforma-se em amor, compaixão e caridade...Vira uma indignação pacífica.
Parabéns pela escolha, como sempre de muito bom gosto.

DILERMArtins disse...

PS.: Vou linkar este post lá no ARTeiro, com sua licença é claro.

A Palavra Mágica disse...

Flor,

Linda a definição da poesia, essa arte incoerente que ama e odeia, que denuncia injustiças e anuncia alvoradas.

Beijos!
Alcides

Interlúdio com ...

Will You Still Love Me Tomorrow - Norah Jones

Will You Still Love Me Tomorrow

Norah Jones

Tonight you're mine completely
You give your love so sweetly
Tonight the light of love is in your eyes
Will you still love me tomorrow?

Is this a lasting treasure
or just a moment pleasure?
Can I believe the magic of your sight?
Will you still love me tomorrow?

Tonight with words unspoken
You said that I'm the only one
But will my heart be broken
When the night meets the morning sun?

I like to know that your love
This know that I can be sure of
So tell me now cause I won't ask again
Will you still love me tomorrow?

Will you still love me tomorrow?
Will you still love me tomorrow?...

Postagens populares

Total de visualizações de página